Blog Post Produção de lixo por classe social é analisada para Plano de Gestão

Produção de lixo por classe social é analisada para Plano de Gestão
maio

28

2014

Produção de lixo por classe social é analisada para Plano de Gestão

Os municípios da Amai passam por um processo de elaboração do Plano de Gestão de Resíduos Sólidos. Através da Política Nacional de Resíduos Sólidos, instituída em 2010, esse plano já deveria estar pronto em todos os municípios, porém, o governo disponibilizou recursos para que, até agosto deste ano, o plano seja finalizado. Na região de Xanxerê, que compreende os 14 municípios da Amai, a empresa Cener Ambiental, de Chapecó desenvolverá o plano.

O engenheiro químico Jackson Casali explica que em Xanxerê cem famílias foram selecionadas por classes sociais e, durante uma semana, separaram o lixo para avaliação e elaboração do plano. Jackson explica que todo resíduo coletado é para verificar quanto é gerado de cada tipo, seja papel, metal, plástico e lixo orgânico, para que se possa então dar o destino correto.

– O plano vai dar as diretrizes de como tem que ser feito o manejo dos resíduos aqui no município. A gente vai saber, a partir desses estudos, quanto é gerado de cada tipo de resíduo para que a gente possa saber o que tem que ser feito para dar o destino adequado para cada tipo desse resíduo. Esse estudo da composição gravimétrica dos resíduos sólidos se dá em misturar tudo o que foi coletado, ou seja, fazer a técnica do quarteamento, dividir por partes e uma dessas partes, vai separar o que é plástico, papel, orgânico, vidro e metal. A partir disso, vamos pesar cada um desses e ter uma base de quanto é gerado em média no município, em fator de porcentagem – explica.

Em Coronel Freitas, por exemplo, o plano já foi desenvolvido e é aplicado. A expectativa, de acordo com o engenheiro químico, é que o plano de Xanxerê e dos demais municípios da Amai seja finalizado em setembro, garantindo assim que os municípios consigam recursos dos governos Estadual e Federal.

– O prazo é até agosto e o município que não possuir esse plano não poderá ter acesso a recurso federal e estadual que envolva a parte de resíduos sólidos, por exemplo, se o município quiser comprar um caminhão novo para fazer a coleta não vai conseguir, ou terá que pagar com recursos próprios – frisa.

Em Xanxerê já existe a coleta seletiva e cooperativas de catadores que recebem os resíduos secos para dar destino correto, a reciclagem. A empresa, portanto, pretende entender este diagnóstico de quanto é produzido de lixo em Xanxerê para dar as diretrizes adequadas.

Fonte: Tudo sobre Xanxerê